Ceará mais verde: viveiros de mudas da Sema produziram cerca de 800 mil mudas

6 de janeiro de 2022 - 09:45

Viveiro do Parque Estadual do Cocó – Área Adahil Barreto

 

Quem frequenta o Parque Estadual Botânico do Ceará, em Caucaia, a Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra de Baturité, em Pacoti, e a Área Adahil Barreto, do Parque Estadual do Cocó, pode aproveitar o passeio e conhecer um dos três viveiros de produção de mudas nativas, inseridos em unidades de conservação (UCs) estaduais. Sob a administração da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), os viveiros produzem e fornecem mudas para reflorestamento, plantio em áreas públicas e para doação.

Segundo a coordenadora de Biodiversidade da Sema (Cobio/Sema), Doris Santos, além dos viveiros nas UCs, a Secretaria conta também com os regionais”. Juntos, em 2021 produziram 180 mil mudas nativas. “Em 2015 a produção foi de 35.848 mudas, fechamos 2021, acumulando a marca de 787.357 mudas, produzidas entre 2025 e 2021”, disse. Com esse quantitativo, seria possível colocar uma planta a cada 3 metros dentro de duas cidades do tamanho de Fortaleza.

A distribuição dos viveiros regionais abrange diferentes polos do estado. Estão localizados nos municípios de Acopiara, no Centro Sul; Jardim e Campos Sales (Cariri); Croatá e Ubajara (Serra da Ibiapaba); e Tauá (Sertão dos Inhamus). “Isso possibilita uma logística eficaz para a doação de mudas, para o desenvolvimento de projetos de florestamento, reflorestamento, arborização e educação ambiental, por todo o Ceará”, explica o técnico da Célula de Políticas de Flora (Ceflor/Cobio), Lucas Silva. Em dezembro último, equipe técnica do viveiro de General Sampaio, foi capacitada para iniciar produção.

Valorização das espécies

Para o secretário estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno, as unidades produtoras de mudas são de fundamental importância. “Por meio da equipe da Ceflor, a Sema tem dado apoio técnico aos viveiros regionais, realizado capacitações presenciais e onlines, estimulando a atuação regionalizada, para a substituição de espécies exóticas por espécies nativas, visando o fortalecimento da gestão de cada equipamento desse, além de custear a revitalização dos mesmos”, afirma.

Os viveiros, no contexto da política ambiental do estado, estão inseridos no Programa de Valorização das Espécies Vegetais Nativas (Lei Estadual Nº 16.002, de 2/5/2016). “Assim, por meio das doações de mudas nós estimulamos a arborização urbana, a recuperação de áreas degradadas e a substituição gradativa de espécies exóticas invasoras, por nativas, nas áreas públicas e privadas”, informa Bruno.

A implementação do Programa de Valorização das Espécies Vegetais Nativas integra o rol de medidas previstas no Plano Plurianual (PPA 2020-2023) e integrantes do Programa Ceará Mais Verde que tem como objetivo, conservar e proteger os recursos naturais e a biodiversidade do Ceará. Dessa forma, o governo do estado contribui para a Década das Nações Unidas da Restauração de Ecossistemas 2021-2030, definida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

“Ao restaurar os ecossistemas, podemos impulsionar uma transformação que contribuirá para deter a degradação dos mesmos e restaurá-los, além de alcançar todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), gerando benefícios socioambientais e ecossistêmicos, não só para a sociedade cearense, mas para toda a sociedade global, como a melhoria da qualidade do ar, da água, do solo e do clima, propiciando o bem-estar humano”, encerra a coordenadora da Cobio.

Viveiro do Parque Estadual Botânico do Ceará

 

Saiba mais: viveiros

Com o crescimento das cidades e aumento da área utilizada na agricultura, aumenta a perda de biodiversidade e desaparecimento de espécies nativas, muitas vezes de maneira definitiva. O viveiro de mudas nativas contorna o problema e fornece uma solução ecologicamente sustentável.

O Viveiro do Parque Estadual do Cocó está instalado na Área Adahil Barreto, da UC. Foi construído em parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza com o objetivo de produzir espécies nativas do complexo vegetacional costeiro. Conta com uma área de 2.241m2, composto por galpão, estufa, canteiros e composteira, com previsão de produção anual de 50 mil mudas.

No Parque Estadual Botânico do Ceará, em Caucaia, nos últimos anos, o viveiro produziu e distribuiu cerca de 120 mil mudas, que foram doadas para visitantes, escolas, prefeituras, movimentos sociais, agricultores, programas governamentais, instituições do terceiro setor, empresas privadas, entre outros. O equipamento produz mais de 40 espécies nativas, com destaque para Carnaúba, Ipê (roxo e amarelo), Paineira, Cajueiro, Mandacaru e Jacarandá.

No viveiro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra de Baturité, situado no município de Pacoti, são produzidas, pelo menos, 12 mil mudas por ano. Para pessoas físicas o limite máximo de doação é de até 5 mudas e para pessoas jurídicas o limite é de até 30 mudas.

A Sema conta com campanha permanente de incentivo à arborização, na qual todo cidadão pode retirar, após solicitação via site da Secretaria (www.sema.ce.gov.br), mudas de espécies nativas para plantio em casa ou em áreas públicas.

Vveiro da APA da Serra de Baturité